Novembro é o mês de conscientização e prevenção ao câncer de próstata

Novembro é o mês de conscientização e prevenção ao câncer de próstata

Novembro Azul é o mês para reforçar a lembrança de que o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele. O INCA (Instituto Nacional de Câncer) estima que, em 2018, serão registrados mais de 68 mil novos casos da doença e cerca de 13 mil mortes devem ocorrer em decorrência do câncer de próstata.

Para levar informação à população, o Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL) realiza, desde sua fundação, em 2008, iniciativas para promover a mudança de comportamento dos homens, para que incorporem o hábito de consultar um médico e realizar os exames preventivos.

Mesmo com as constantes campanhas de prevenção e alerta para a realização dos exames que podem detectar o câncer de próstata em estágio inicial, muitos homens com idade a partir de 45 anos ainda relutam em seguir as recomendações do rastreamento.

Falta de informação, preconceito e vergonha são algumas das razões que levam o público masculino a deixar de lado procedimentos simples, rápidos, indolores e fundamentais para identificar a doença em estágio inicial. O tratamento para quem identifica precocemente o câncer de próstata chega a índice de cura de até 90%.

A presidente do LAL lembra que milhares de homens ainda deixam de realizar os exames preventivos por preconceito, por falta de informação ou pela correria do dia a dia. Segundo ela, a participação e o apoio da mulher são muito relevantes porque é ela quem incentiva seu companheiro, seu pai, seu familiar ou seu amigo a fazerem seus exames preventivos. “Por este motivo, o Novembro Azul é um movimento que visa atingir a população de modo geral, mostrando como é importante cuidar da saúde”.

Sobre o câncer de próstata

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Em valores absolutos e considerando ambos os sexos é o quarto tipo mais comum. Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), estima-se que em 2018 surjam 68.220 novos casos da doença.

O câncer de próstata é normalmente detectado inicialmente pelos exames de nível de PSA no sangue e pelo toque retal. Em alguns casos, pode também ser recomendável realizar ressonância magnética e a biópsia, que confirma a presença do câncer.

As chances de cura estão diretamente relacionadas ao estágio em que a doença for diagnosticada. Nos estágios iniciais da doença, quando está localizada e não apresenta metástase, é possível remover a próstata e as células cancerígenas, com grandes chances de cura. Estima-se que 90% dos casos podem ser curados se diagnosticados precocemente.

Após o diagnóstico positivo, o homem deve conversar com seu médico e também procurar um oncologista de confiança, para que possam decidir juntos pelo melhor tratamento.